Acesso ao BNMP terá segurança ampliada com dupla autenticação

Em mais uma iniciativa para aperfeiçoar o funcionamento do Banco Nacional de Monitoramento de Prisões (BNMP), a partir do dia 12 de janeiro os acessos ao sistema ocorrerão após duas checagens para confirmação da autenticidade do usuário. A mudança, chamada de Duplo Fator de Autenticação, será introduzida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para elevar a segurança da ferramenta.

Implementado para monitorar o sistema carcerário brasileiro, o BNMP é utilizado pela magistratura e profissionais do Judiciário que atuam em varas criminais. Com a adoção do Duplo Fator de Autenticação, quando as pessoas acessarem o sistema por computador, dispositivo ou rede diversa do usual, além da senha padrão, eles receberão um código pelo e-mail funcional ou pelo celular que também deverá ser digitado para autorizar a conexão. A obtenção do acesso será viabilizada por um código contendo seis caracteres e que será gerado no momento da autenticação.

O objetivo da mudança, de acordo com o juiz auxiliar da Presidência do CNJ Adriano da Silva Araújo, é proporcionar maior segurança. Ele explica que a pessoa, ao abrir o sistema e digitar a senha padrão, deverá fornecer um código autenticador que lhe franqueará o acesso, que poderá ser obtido pelo aparelho celular ou por seu e-mail funcional. “Se uma pessoa não autorizada obtiver uma senha de acesso de maneira indevida, ela não vai conseguir entrar no sistema, que exigirá dupla verificação.”

Jeferson Melo
Agência CNJ de Notícias